quinta-feira, 15 de junho de 2017

Uma carta aberta aos fabricantes de produtos para Automação Residencial

Por Helen M. Heneveld, da SDM

Há um problema em nossa indústria, mesmo com todos os avanços incriveis da tecnologia e coisas cada vez mais interessantes e divertidas acontecendo todos os dias. É complicado ter que dizer, mas os produtos novos e os já existentes nem sempre funcionam bem juntos e é uma questão de interoperabilidade. Este bocado de nove sílabas é definido como "a capacidade de sistemas informáticos ou software para trocar e fazer uso de informações entre dispositivos fabricados por diferentes fabricantes". A interoperabilidade tem sido um tema central há mais de 25 anos, mas uma solução viável não foi ainda encontrada. Por que não podem todos caminhar juntos?

No início da vida - em casa, na escola e além - nos ensinam que todos precisam brincar bem juntos. Isto traz bons momentos em casa, no trabalho e na diversão. Tem a ver com os 3 Cs: consistência, comunicação e colaboração. As regras nos playgrounds são consistentes; Sem jogar areia, sem empurrar, e lembre-se de se revezar. Essas diretrizes são comunicadas por figuras de autoridade. E, ao tocarem juntos, a colaboração faz uma equipe vencedora. Isso é fácil de entender, embora a execução às vezes seja um desafio.

"Nós não podemos educar os clientes para serem interoperáveis, então devemos ter produtos que sejam".

No cenário tecnológico de hoje em dia e em constante mudança, a consistência, a comunicação e a colaboração devem ser altas prioridades para o sucesso. No entanto, existem agora mais de 160 protocolos utilizados na automação de casas e edifícios, e trabalhar em conjunto não está no topo da lista de regras a seguir ao implementar um novo produto. Sim, existem iniciativas de interoperabilidade, como produtos "Works with Nest", "Control4 Certified" e "Crestron Connected Inside". Ou mesmo um conjunto completo de produtos de um fabricante, como Lutron. Enquanto algumas iniciativas começam a resolver o problema, muitas vezes eles se concentram na tecnologia e / ou protocolo específico de um fabricante.

Esses desafios foram ouvidos alto e claro na TecHomeX, onde eu moderei a Mesa Redonda de Colaboração Empresarial, abordando os problemas e desafios durante as fases de um projeto - vendas / configuração de expectativas do cliente, planejamento de projeto / produção, ações no local de trabalho e envolvimento com a experiência do cliente.

Essas discussões ajudaram a descobrir e suavizar o intrincado funcionamento de um projeto para o contratante de sistemas eletrônicos e muitas sugestões foram feitas para ajudar a solucionar problemas de produtos e interoperabilidade. Agora é esperar que alguns fabricantes considerem essas idéias e suavizem a estrada para os técnicos que fazem a instalação e buscam a satisfação do cliente, como estes a seguir:

  1. Fornecer suporte técnico robusto com horas abrangentes, juntamente com a compreensão e suporte da integração com os produtos de outros fabricantes.
  2. Segurança de rede de endereços com proteção integrada (requerer alteração de senha ao instalar um produto), ao adicionar dispositivos (definir configuração segura) e recomendação de um roteador profissional.
  3. Seguir os padrões da indústria, quando aplicável e sempre que possível; Fiação, instalação, cabos, rotulagem e desenhos (use o padrão ANSI J-STD-710 de símbolos de desenho arquitetônico de áudio, vídeo e controle).
  4. Organizar uma equipe de suporte responsável por viabilizar a integração com produtos produzidos por outros fabricantes.
  5. Liberar produtos BETA somernte quando estiverem prontos e não antes, assegurar testes e desempenho.
  6. Pesquisar tecnologias emergentes (como iluminação LED) e possuir pessoal experiente.
  7. Compartilhar as atualizações de firmware com antecedência - e optar por excluir as atualizações automáticas. (Lembre-se quando o Sonos implementou automaticamente uma nova API para integração de casas inteligentes e os usuários do Control4, Savant, Lutron e Crestron não conseguiram acessar o Spotify ou a Amazon Music em seu sistema de automação residencial?)

Flexibilidade de produtos e protocolos - não dispositivos proprietários - faz bem jogar juntos. A linha de pensamento é que não podemos educar os clientes para serem interoperáveis, por isso devemos ter produtos que o sejam. Os produtos instalados devem tornar as vidas dos clientes e experiências agradáveis ​​e, em decorrencia, isto pode proporcionar o mesmo para os construtores de sistemas eletrônicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário